Poema: Fênix

Com a mesma intensidade que sofro, eu renasço.

A dor vira cinzas que se espalham ao vento.

Para longe, bem longe.

A dor adentra na noite atrapalhando meu sono.

Lágrimas apagam o fogo.

A intensidade adormece e acordo mais leve.

Sigo em frente, sempre em frente.

O sono se despediu da dor.

Disse, adeus!

Van Carlos

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *