Poema: Fênix

Com a mesma intensidade que sofro, eu renasço.

A dor vira cinzas que se espalham ao vento.

Para longe, bem longe.

A dor adentra na noite atrapalhando meu sono.

Lágrimas apagam o fogo.

A intensidade adormece e acordo mais leve.

Sigo em frente, sempre em frente.

O sono se despediu da dor.

Disse, adeus!

Van Carlos

Continue Reading

Poema: Fortaleza

Eu serei fortaleza perante o mundo,

serena como uma noite pode ser.

Guardarei as tempestades dentro de mim

não reveladas pela minha voz.

Uma voz que não atropela as palavras,

não aumenta o tom, não revela a alma.

Já que é assim que eles querem

eu serei um segredo.

Um segredo revelado com uma caneta.

Através das palavras escritas, 

desabarei a fortaleza.

Eu serei ruínas perante uma folha de papel.

 

Van Carlos

Continue Reading