Livro: Entrevista Com o Vampiro

Autor: Anne Rice

Editora: Rocco

Antes de falar sobre o livro, tenho que dizer que já conhecia a história através do filme Entrevista Com o Vampiro de 1994 e que assisti quando era criança. Eu recomendo este filme a todos, ele capta bem a essência do livro, e os atores Tom Cruise, Brad Pitt e Kirsten Dunst atuam maravilhosamente em seus papéis. Só muitos anos depois que eu fui ler o livro e mesmo assim o encanto foi o mesmo. Claro que o livro é mais rico em detalhes e tem algumas diferenças entre o filme e o livro, mas vale muito a pena assistí-lo. E para os leitores da Anne Rice tem novidade boa vindo por aí, será feito uma série sobre as Crônicas Vampirescas!

Quando se fala em livros sobre vampiros, Drácula de Bram Stoker e Entrevista Com o Vampiro são meus preferidos.

Uma das coisas que eu acho genial e criativo deste livro é o fato da história dele ser contado através da entrevista que Louis dá a um rapaz, por este motivo o nome do livro ser Entrevista Com o Vampiro. Louis quer contar a sua história desde 1791, quando foi transformado. É interessante as reações do rapaz que o entrevista (medo, aflição, curiosidade) e os diálogos entre eles conforme o misterioso vampiro vai contando a sua história.

Louis morava em Louisiana, com sua mãe, irmã e irmão, seu pai já era falecido, tornando-se o chefe da casa. Sua família é de origem francesa, tinha recebido terras do governo para iniciar plantações de índigo no Mississipi, muito próximo de Nova Orleans.

O único interesse do seu irmão era as orações, ele era extremamente religioso e passou a ter visões, mas uma tragédia acontece com ele e acaba falecendo, e a morte dele causa um impacto muito grande em Louis que se sente culpado por sua morte. Por isso Louis se torna uma pessoa autodestrutiva, sentindo uma imensa dor e não desejando mais viver a vida, e então a “morte” o encontra, o vampiro Lestat.

Como se estivesse enfeitiçado e encantado por Lestat, ele acaba entregando a sua vida e é transformado em vampiro. Louis descreve a transformação com detalhes, a vida deixando o corpo dando lugar à imortalidade.

Lestat na verdade transformara Louis em vampiro porque queria a fazenda Pointe du Lac e pelas habilidades que Louis tinha em administrar negôcios.

Aos poucos a personalidade insensível, audaciosa, irrequieta e desprovida da consciência humana entra em choque com os tormentos de Louis, que é sensível, cheio de dúvidas querendo respostas sobre o bem e o mal, atormentado pelo fato de ter que matar, pois ainda carrega fortemente sua consciência humana e que mesmo com a imortalidade ainda carrega a dor da sua vida que ficou para trás. A culpa e a dor sempre o acompanham.

O livro é muito mais profundo e rico do que posso descrever aqui, constantemente há o questionamento de Louis sobre o bem e o mal, a vida e a morte. E se nós mortais desejamos a imortalidade, ele nos mostra as consequências disso, o que é viver por séculos. Ver familiares morrer, ter que acompanhar as mudanças no mundo, que pode ser dolorosa e a solitária.

Lestat não dá as respostas que Louis busca, na verdade é até uma forma de Lestat manter Louis por perto, preso a ele. Mas quando Lestat sente que Louis pode abandoná-lo, ele traz Cláudia para a vida deles, uma criança de apenas cinco anos que Louis encontra chorando em sua pobre casa nos becos fétidos e sujos da cidade. Com Cláudia transformada, os três juntos passam a viver como uma família. Mas é Louis que tem uma ligação maior com Claudia, um misto de amor e de culpa por ela ter sido transformada em vampiro.

Surpreendente a personagem que Anne Rice criou, uma criança vampira de cinco anos, mas que ao passar dos anos desenvolve a mentalidade de uma mulher adulta presa no corpo de uma criança.

Até determinado momento o livro é sobre os três convivendo juntos, e com o ódio de Cláudia crescendo por Lestat conforme a sua raiva de estar presa no corpo de uma criança também cresce, e então ela decide se livrar de Lestat.

Louis e Cláudia vão em busca das respostas que tanto os atormentam, vão a outros países em busca de vampiros para buscar respostas e nisso encontram o vampiro Armand que se atrai pela a humanidade que ainda reside em Louis. E não poderei falar mais do que isso, pois muitas coisas acontecem e para saber só lendo o livro, mas posso te adiantar que a dor de Louis só aumenta.

 

 

 

 

 

 

 

Continue Reading

Poema: Fênix

Com a mesma intensidade que sofro, eu renasço.

A dor vira cinzas que se espalham ao vento.

Para longe, bem longe.

A dor adentra na noite atrapalhando meu sono.

Lágrimas apagam o fogo.

A intensidade adormece e acordo mais leve.

Sigo em frente, sempre em frente.

O sono se despediu da dor.

Disse, adeus!

Van Carlos

Continue Reading

Poema: Fortaleza

Eu serei fortaleza perante o mundo,

serena como uma noite pode ser.

Guardarei as tempestades dentro de mim

não reveladas pela minha voz.

Uma voz que não atropela as palavras,

não aumenta o tom, não revela a alma.

Já que é assim que eles querem

eu serei um segredo.

Um segredo revelado com uma caneta.

Através das palavras escritas, 

desabarei a fortaleza.

Eu serei ruínas perante uma folha de papel.

 

Van Carlos

Continue Reading