Livro: O Vampiro Lestat de Anne Rice (2º Volume – As Crônicas Vampirescas)

Autor: Anne Rice

Editora: Rocco

Em Entrevista Com o Vampiro, Louis conta como era a sua vida mortal e depois de ser transformado em vampiro pelo impetuoso Lestat, mas Louis nada sabia sobre a história deste vampiro que o transformou em imortal. Mas agora em O Vampiro Lestat segundo volume da série As Crônicas Vampirescas da escritora Anne Rice, conhecemos sobre a história de sua vida escrita pelo o próprio Lestat em uma autobiografia.

Desde 1.929 Lestat parou de beber sangue e ficou deitado na terra. Duas coisas o fizeram despertar em 1.984. E ao despertar ele se depara com uma nova sociedade que o fascina.

“As pessoas eram, de novo, aventurosas e sensuais da maneira como haviam sido nos velhos tempos, antes das grandes revoluções da classe média no final do século XVIII. Elas até se pareciam como naqueles tempos.”

Ele entra para uma banda de rock que passa a se chamar “O Vampiro Lestat” cujos integrantes são mortais e é através deles que Lestat descobre que o seu nome já é bem conhecido por causa do livro “Entrevista Com o Vampiro”.

Lestat já não se importava mais com as velhas regras, queria romper cada uma delas. Desejava que a banda e o seu livro atraíssem não apenas Louis, mas também todos os outros “demônios”. Ele queria também que os mortais soubessem dos vampiros, mesmo se não acreditassem.

Em sua autobiografia Lestat de Lioncourt conta que nasceu na França em um antigo castelo, seu pai era o marquês e ele era o mais novo dos três filhos, ele não se dava bem com eles, apenas com sua mãe Gabrielle. De temperamento irrequieto, rebelde, inconformado e sonhador Lestat desejava explorar a vida longe daquele lugar.

Lestat foge para Paris com o amigo Nicolas de Lenfent e os dois trabalham em um teatro, Lestat como ator e Nicolas como violinista. E é então que numa noite, Lestat é transformado em vampiro pelo intrigante Magnus que logo em seguida comete “suicídio”. Sim, é isso mesmo que você leu. Apesar dos vampiros serem imortais, algumas coisas podem destruí-los. E Magnus se autodestruiu sem dar muitas explicações para Lestat, apenas dizendo o necessário para a sobrevivência dele.

E por toda sua história até 1.984 que é quando desperta, Lestat transforma algumas pessoas muito próximas a ele em vampiros e novos vampiros aparecem também, como o sedutor Armand, o interessante Marius e vários outros. Mas é Marius que revela o segredo dos Que Devem Ser Conservados.

Anne Rice escreve com muito requinte os seus personagens vampirescos e com êxito as descrições dos lugares e países. Assim como em Entrevista Com o Vampiro, o livro é muito mais rico e profundo do que posso descrever aqui. Faz questionar, pensar e filosofar assim como os personagens. Mostra como a imortalidade pode ser solitária e confusa, que alguns vampiros não conseguem entender o século que está vivendo, pois é difícil acompanhar tantas mudanças na sociedade.

Transformar Lestat em um astro de Rock é captar realmente a essência de Lestat e saber dar continuidade a este personagem, pois ele sempre gostou de música e arte e combina com a sua rebeldia e ambição. Conhecíamos Lestat só na superfície que ainda era mostrada pela visão de Louis em Entrevista Com o Vampiro, mas em O Vampiro Lestat conhecemos suas razões de ser quem é. Ele age por impulso porque ele tem este lado destemido e irrequieto, e por mais que você não concorde você acaba compreendendo suas razões. Lestat com a sua autobiografia, músicas e vídeos clipes de Rock revelando os segredos dos vampiros irá causar muita confusão.

 

Continue Reading

Livro: Entrevista Com o Vampiro

Autor: Anne Rice

Editora: Rocco

Antes de falar sobre o livro, tenho que dizer que já conhecia a história através do filme Entrevista Com o Vampiro de 1994 e que assisti quando era criança. Eu recomendo este filme a todos, ele capta bem a essência do livro, e os atores Tom Cruise, Brad Pitt e Kirsten Dunst atuam maravilhosamente em seus papéis. Só muitos anos depois que eu fui ler o livro e mesmo assim o encanto foi o mesmo. Claro que o livro é mais rico em detalhes e tem algumas diferenças entre o filme e o livro, mas vale muito a pena assistí-lo. E para os leitores da Anne Rice tem novidade boa vindo por aí, será feito uma série sobre as Crônicas Vampirescas!

Quando se fala em livros sobre vampiros, Drácula de Bram Stoker e Entrevista Com o Vampiro são meus preferidos.

Uma das coisas que eu acho genial e criativo deste livro é o fato da história dele ser contado através da entrevista que Louis dá a um rapaz, por este motivo o nome do livro ser Entrevista Com o Vampiro. Louis quer contar a sua história desde 1791, quando foi transformado. É interessante as reações do rapaz que o entrevista (medo, aflição, curiosidade) e os diálogos entre eles conforme o misterioso vampiro vai contando a sua história.

Louis morava em Louisiana, com sua mãe, irmã e irmão, seu pai já era falecido, tornando-se o chefe da casa. Sua família é de origem francesa, tinha recebido terras do governo para iniciar plantações de índigo no Mississipi, muito próximo de Nova Orleans.

O único interesse do seu irmão era as orações, ele era extremamente religioso e passou a ter visões, mas uma tragédia acontece com ele e acaba falecendo, e a morte dele causa um impacto muito grande em Louis que se sente culpado por sua morte. Por isso Louis se torna uma pessoa autodestrutiva, sentindo uma imensa dor e não desejando mais viver a vida, e então a “morte” o encontra, o vampiro Lestat.

Como se estivesse enfeitiçado e encantado por Lestat, ele acaba entregando a sua vida e é transformado em vampiro. Louis descreve a transformação com detalhes, a vida deixando o corpo dando lugar à imortalidade.

Lestat na verdade transformara Louis em vampiro porque queria a fazenda Pointe du Lac e pelas habilidades que Louis tinha em administrar negôcios.

Aos poucos a personalidade insensível, audaciosa, irrequieta e desprovida da consciência humana entra em choque com os tormentos de Louis, que é sensível, cheio de dúvidas querendo respostas sobre o bem e o mal, atormentado pelo fato de ter que matar, pois ainda carrega fortemente sua consciência humana e que mesmo com a imortalidade ainda carrega a dor da sua vida que ficou para trás. A culpa e a dor sempre o acompanham.

O livro é muito mais profundo e rico do que posso descrever aqui, constantemente há o questionamento de Louis sobre o bem e o mal, a vida e a morte. E se nós mortais desejamos a imortalidade, ele nos mostra as consequências disso, o que é viver por séculos. Ver familiares morrer, ter que acompanhar as mudanças no mundo, que pode ser dolorosa e a solitária.

Lestat não dá as respostas que Louis busca, na verdade é até uma forma de Lestat manter Louis por perto, preso a ele. Mas quando Lestat sente que Louis pode abandoná-lo, ele traz Cláudia para a vida deles, uma criança de apenas cinco anos que Louis encontra chorando em sua pobre casa nos becos fétidos e sujos da cidade. Com Cláudia transformada, os três juntos passam a viver como uma família. Mas é Louis que tem uma ligação maior com Claudia, um misto de amor e de culpa por ela ter sido transformada em vampiro.

Surpreendente a personagem que Anne Rice criou, uma criança vampira de cinco anos, mas que ao passar dos anos desenvolve a mentalidade de uma mulher adulta presa no corpo de uma criança.

Até determinado momento o livro é sobre os três convivendo juntos, e com o ódio de Cláudia crescendo por Lestat conforme a sua raiva de estar presa no corpo de uma criança também cresce, e então ela decide se livrar de Lestat.

Louis e Cláudia vão em busca das respostas que tanto os atormentam, vão a outros países em busca de vampiros para buscar respostas e nisso encontram o vampiro Armand que se atrai pela a humanidade que ainda reside em Louis. E não poderei falar mais do que isso, pois muitas coisas acontecem e para saber só lendo o livro, mas posso te adiantar que a dor de Louis só aumenta.

 

 

 

 

 

 

 

Continue Reading

Livro: A Seleção – Volume 1

a-selecao

Autor: Kiera Cass

Illéa é um vasto e jovem país, sua população é dividida em castas que vai do Um, pertencente à família real, até a casta Oito, onde estão os mais miseráveis da população. América Singer é uma jovem que faz parte de uma família de artistas e músicos pertencente à casta Cinco, uma das mais pobres. América é uma ruiva, que herdou o gênio da mãe e a compaixão do pai, têm quatro irmãos que são: Kenna a mais velha casada com um homem da casta Quatro, Kota um artista obcecado em conseguir subir sua posição hierárquica nas castas e que conseguiu fama com suas esculturas, mas abandonara sua família, May irmã mais nova, de personalidade sonhadora e entusiasmada que América muito ama e Gerad o caçula da família de 7 anos.

América e Aspen são apaixonados um pelo o outro, eles se encontravam sempre que podiam escondidos de todos, pois Aspen pertence à casta de número Seis, mais pobre do que a casta de América. Aspen trabalhava muito e ganhava pouco, se sacrificava para dar o que comer a sua mãe e irmãos, mesmo assim, passavam fome e dificuldades. Um casamento entre castas diferentes era muito burocrático, mas América mesmo sabendo das dificuldades que iria enfrentar ao casar-se com Aspen, não se importava, pois era o que mais queria. Ela se tornaria uma Seis se casasse com ele e sabia que sua mãe não iria aceitar e Aspen que por mais que amasse América tinha medo de não poder dar uma vida que ela merecia, ele sofria só de imaginar esse futuro de miséria e fome dos dois.

Maxon Schreave é o príncipe de Illéia, único filho do Rei Clarkson e da Rainha Amberly. Ele completou a maioridade e está em busca de uma noiva através da Seleção. Uma jovem de cada província é escolhida aleatoriamente para encontrar-se com ele, ao todo são 35 jovens que ficarão no palácio por tempo indeterminado até restar apenas uma, que se tornará a princesa de Illéa, todo este processo é acompanhado pelo país.

Eis que chega uma carta na casa de América Singer, esta carta contém o formulário que deve ser preenchido para quem quer participar da Seleção. Todas as jovens recebem esta carta com empolgação menos América que já tinha seu futuro planejado com Aspen.

Participar da Seleção era uma boa oportunidade de melhorar de vida principalmente para pessoas de castas inferiores como América, por isso, sua mãe a pressionava para participar, mas foi por Aspen que ela cedeu. Ele se culparia para sempre se ela não tentasse. América certa de que não seria escolhida, preenche o formulário, assim agradaria a todos, mas seu plano deu errado, ela é uma das 35 escolhidas e tudo muda em sua vida de um dia para o outro e com o tempo seu coração fica dividido entre Maxon e Aspen. No palácio ela é cercada de luxo, jóias, vestidos deslumbrantes e regras de comportamento, o contrário de tudo o que ela vivera até então.

A Seleção é uma história de escrita simples, fácil e agradável, a escritora Kiera Cass soube criar um tipo de contos de fada moderno, misturando reality show em um mundo distópico. A junção dessas três ideias foi o que eu achei genial em uma história de romance de um príncipe em busca de uma princesa.

Continue Reading